.

.

domingo, 30 de outubro de 2016

O zero não conta

Por incrível que possa parecer, a contagem ainda causa dúvida na cabeça das pessoas. É redundante, mas precisamos entender que começamos a contar a partir do número 1 e não do zero, que representa o nada. Se o zero é o nada, então ele não conta. É o óbvio, ululante. Mas porque toda essa conversa? Calma, vamos chegar lá. Precisamos deste introito para chegarmos ao que interessa. O importante aqui é ter claro que começamos a contar a partir do número um, pois se este conceito não estiver bem definido em nossa massa-cinzenta, poderemos cometer algumas gafes em coisas aparentemente simplórias.

Entendendo estas bases, conseguiremos absorver que, por exemplo, o ano de 1990 faz parte da década de 80 e não da de 90, que começa em 1991. O zero do ano 90 fecha a década de 80. É o zero do ano 10. É por isso que a virada do século se deu de 2000 para 2001, que é o primeiro ano do novo período. Da mesma forma, dizemos que são 6 horas da tarde, visto que a noite começa às 6h01min. Quando o relógio marca 18h, aquele último minuto fecha a hora 17. É o Sexagésimo minuto do período que começou às 5 horas e 1 minuto.  O raciocínio vale para o período da tarde que só tem início quando o relógio marca 12h01min. Sempre assim.


O relógio marca seis horas da tarde e não da noite


Já vi muita gente boa fazendo confusão, daí ter resolvido escrever a respeito do assunto que pode induzir a erro e modificar fatos da nossa história. Para que não tenhamos mais dúvida é só lembrar que começamos a contar a partir do algarismo 1. Tenho dito.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Nelson Filho, o Asa e a carta de Hellycarlos

A nova administração do Asa, encabeçada pelo radialista, Nelson Filho, já começou a trabalhar. O novo treinador já foi anunciado e as articulações para resolver todos os problemas da Agremiação não param. O técnico contratado é Maurílio Silva, ex-jogador do Palmeiras. Uma nova aposta do representante de Arapiraca.

 
Nelson Filho, o narrador/Presidente


O novo Presidente, que é narrador-esportivo da Novo Nordeste, já demonstrou interesse de continuar acumulando as duas funções: rádio e presidência. Entendo que os dois trabalhos são mutuamente exclusivos, sendo necessário a opção por um deles. Não há nenhuma ilegalidade no acúmulo, mas quando se entra no campo da ética, é altamente recomendável separar o joio do trigo. As Escrituras de há muito ensinam que "Não é possível servir a Deus e a Mamon". 

Outro fato que não pode passar em branco é a carta entregue pelo ex-Presidente Hellycarlos Albuquerque, que não compareceu à solenidade de posse de NF. O documento foi  lido na aclamação de Nelson. Alguns trechos são emblemáticos. Vamos tentar entendê-los.

Helly começa dizendo que "Para o bem de nosso clube renuncio ao cargo". Então quer dizer que se ele não tivesse renunciado geraria problemas! "Administrar um clube como o nosso não me pareceu tão difícil assim", o que nos leva a entender que gostaria de ter permanecido no cargo. Segue: "Basta transparência, sinceridade, lealdade e desprendimento! Ironicamente foram esses os valores que findaram por me afastar de tão honroso cargo!". Nessa parte dá a entender que foi traído, quando fala em lealdade. 

Agora preste atenção e compare os discursos, como o feito pelo Presidente-Executivo, nessa quinta, 27, durante a aclamação. Nelson afirmou aos setoristas do clube que quando o assunto fosse contratação de treinador e jogadores procurassem os conselheiros Zé Negão, Zé da Danco e Hellycarlos. O discurso se choca com o que Helly afirma na carta. Confira: "Passo agora a incorporar esta multidão de apaixonados que torcem e vibram do lado de cá da arquibancada", escreveu o Presidente que saiu. Ora, não precisa ser versado na língua portuguesa para entender a expressão "lado de cá", que deixa claro, e não nas entrelinhas, que existem dois lados. Helly se coloca, agora, como apenas mais um torcedor apaixonado.

A partir de agora, preste atenção porque entraremos na segunda metade da carta, onde o autor começa a ficar mais enfático e a fazer lamentações e expressar mais firmemente o sentimento que carrega.

"Lamento a falta de apoio de nossos principais patrocinadores, descabida num primeiro momento mas que hoje se tornam mais evidentes os reais motivos para o boicote que sofremos!", escreve Helly. Atentai que ele é claro ao dizer que foi boicotado deliberadamente pelos patrocinadores, deixando evidente que havia um movimento oculto para enfraquecê-lo, de forma a deixá-lo sem fôlego para prosseguir à frente do Asa

Ao se aproximar do final da exposição, Albuquerque dispara ao dizer que não se está falando a verdade. "A verdade prevalecerá, mesmo que a mentira se utilize dos mais diferentes escudos, valha-se das mais diferentes formas, diplomas, cargos, heranças, togas, enfim, as máscaras cairão, todas elas!". Precisa dizer mais alguma coisa?

Para finalizar, Helly sai das entrelinhas e é explícito: "Não esperaria encontrar lealdade em quem não a encontrou no seu próprio lar! Trair-me não amenizará a vergonha que carregam pelas traições outras que já sofreram de forma publica!".  

É visível o descontentamento do ex-mandatário do Asa e esta será mais uma tarefa que caberá ao atual Presidente para, na prática, ser realmente um candidato de consenso como foi anunciado. Claro que com a habilidade política que carrega consigo, saberá fazer uma cirurgia no coração do Doutor e trazê-lo para o seu lado. Antes de marcar a data, será preciso amenizar o sofrimento no coração do médico. Sinceridade, lealdade e amor são a medicação indicada.