.

.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Vamos valorizar o gol

Em 1990, quando estava trabalhando na afiliada do SBT, em Rio Branco-AC, tive a felicidade de assistir a uma palestra do Mestre Armando Nogueira, acreano de Xapuri, que após deixar o comando do jornalismo da Rede Globo, voltava ao Estado onde nasceu. No evento, abordou, entre outros assuntos, a forma como os repórteres relatam o gol.


Armando Nogueira: o sábio da bola


Na oportunidade - lembro bem - ouvi Armando se referir aos repórteres que fazem o fundo do gol. Dizia ele que a maioria esmagadora, quando de um gol, foca na falha da defesa, deixando de reconhecer o mérito do atacante. É um tal de "A defesa bateu cabeça", "Falhou o setor defensivo", "Pixotada do zagueiro fulano", "A defesa do time tal está uma verdadeira avenida", "O trabalho do ataque foi facilitado pelo péssimo posicionamento da defesa", "Os zagueiros não estão falando a mesma língua" etc. 

Mestre Armando sempre defendeu que se desse os méritos ao construtor da jogada, ao homem que foi capaz de balançar a rede adversária, àquele que levantou a arquibancada e levou alegria para milhares de pessoas. Em outras palavras, que os repórteres cultivem o hábito de valorizar o grande momento do futebol, que é o gol.

Concordo com o Mestre. Precisamos enxergar a beleza do futebol, em vez de focarmos apenas nas falhas da defesa, que existem, é verdade, mas temos gols em que não há falhas no setor defensivo, o que existe é o talento do atacante desbravando defesas e construindo jogadas fantásticas que merecem ser aplaudidas. Tudo é uma questão de foco. Basta tirá-lo do negativo e colocá-lo no positivo.